BOLSA-Ibovespa deve fechar semana no zero a zero; calendário de ofertas segue aquecido

BOLSA-Ibovespa deve fechar semana no zero a zero; calendário de ofertas segue aquecido

Reuters  | 07.08.2020 18:12

BOLSA-Ibovespa deve fechar semana no zero a zero; calendário de ofertas segue aquecido

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO, 7 Ago (Reuters) - O Ibovespa caminha para fechar a semana praticamente no zero a zero nesta sexta-feira, sem catalisadores significativos para renovar as máximas desde o agravamento da pandemia no país em março, mas também sem notícias que apoiassem movimentos mais fortes de realização de lucros.

Na última quarta-feira, o Banco Central reduziu a Selic a 2% ao ano, reforçando o que tem sido um dos principais suportes para as ações brasileiras, em meio a uma migração de recursos de pessoas físicas para a bolsa em busca de retornos mais elevados para seus investimentos.

A temporada de balanços no país mostrou uma combinação mista de resultados, trazendo o desempenho e as perspectivas de pesos pesados como Itaú Unibanco, Banco do Brasil (SA:BBAS3), Klabin (SA:KLBN4), Gerdau (SA:GGBR4) e Braskem (SA:BRKM5), entre outros, enquanto o calendário de ofertas de ações - IPOs e follow ons - continuou aquecido.

Brasília não trouxe novidades em relação ao andamento da reforma tributária, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, buscando ganhar no discurso a confiança de investidores sobre os efeitos benéficos do texto, que ainda traz desconfiança quando a um eventual aumento da carga tributária a alguns setores.

O Senado, por sua vez, atraiu as atenções ao aprovar na quinta-feira projeto de lei que estabelece um teto para taxas de juros de cheque especial e cartão de crédito enquanto durar o estado de calamidade pública por conta da pandemia da Covid-19. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados.

No exterior, a semana termina com o clima tenso após o governo norte-americano tomar medidas para proibir os aplicativos WeChat e TikTok, controlados por empresas chinesas, nos Estados Unidos, adicionando ainda mais combustível às relações complicadas entre as duas maiores economias do mundo.

Ao mesmo tempo, dados sobre a economia dos EUA, com o relatório sobre o mercado de trabalho nesta sexta-feira sendo o mais recente, mostraram que a recuperação da atividade econômica perdeu um pouco o fôlego, após números mais fortes nos meses anteriores.

Ainda assim, Wall Street encontrou suporte no desempenho do setor de tecnologia e em esperanças de um novo pacote de estímulos fiscais nos EUA, que continua sendo negociado por parlamentares em um ambiente de aumento de casos de Covid-19, com as mortes pela doença na casa dos 157 mil.

O Brasil também não mostra arrefecimento no ritmo de contágio do novo coronavírus e fica mais perto de 3 milhões de casos e 100 mil mortes. volta de 13:50, o Ibovespa .BVSP caía 1,13%, a 102.951,36 pontos, contabilizando um acréscimo de 0,04% na semana e no mês, enquanto, no ano, ainda tem declínio de 10,98%.

No mesmo horário, o índice Small Caps .SMLL recuava 0,38%, a 2.468,77 pontos, com elevação de 0,11% na semana/mês, mas perda de 13,1% no acumulado de 2020.

Incorporadora Yuny pede registro de cia aberta da Quero-Quero movimenta R$2,2 bi da d1000 movimenta R$460 mi Patrimar pede registro para IPO Kallas pede registro para IPO Sulamericana pede registro para IPO Banco retoma planos de IPO não vive bolha, diz CEO da B3 Inc cancela IPO, cita conjuntura de mercado favorece alta na bolsa e Petrorio entram na 1ª prévia do Ibovespa DO ACUMULADO DO MÊS:

- KLABIN UNIT KLBN11.SA mostra alta de 12,3% em agosto, embalada pelo lucro operacional medido pelo Ebitda ajustado de 1,3 bilhão de reais entre abril e junho, melhor desempenho trimestral da história da fabricante de papel e celulose. Na esteira dos fortes números da rival, SUZANO ON SUZB3.SA acumula elevação de 11,6%. TOTVS ON TOTS3.SA acumula valorização de 12,2%, apoiada no resultado trimestral da produtora de softwares de gestão, que mostrou lucro quase estável no segundo trimestre, uma vez que maiores receitas com produtos de computação em nuvem e a forte redução da despesa compensaram os efeitos econômicos da pandemia do coronavírus. A companhia ainda espera um "fim de ano interessante". BR MALLS ON BRML3.SA sobe 10,7% na primeira semana do mês, principalmente após resultado do grupo Iguatemi, que mostrou declínio de 14,3% na receita líquida e de apenas 2 pontos percentuais na margem Ebitda, para 71,4%. IGUATEMI ON avança 7,4% no mês e MULTIPLAN ON MULT3.SA , que também reportou resultado, valoriza-se 8%. A brMalls apresenta seu desempenho trimestral em 13 de agosto. COGNA ON COGN3.SA recua 11,2%, após figurar entre os destaques positivos do mês anterior, em meio a correções com a estreia fraca da sua subsidiária Vasta na bolsa norte-americana Nasdaq. Parte do avanço recente de Cogna esteve associada a expectativas para o IPO, uma vez que parcela dos recursos da oferta foi destinada a pagamento de dívida com a controladora. O IPO foi precificado em 30 julho acima da faixa indicativa, a 19 dólares por papel, mas a ação não teve fôlego para sustentar a cotação VSTA.O , caindo a 17,57 dólares nesta sexta-feira.

- CARREFOUR BRASIL ON CRFB3.SA apura um declínio de 6,4% neste começo de mês, após forte valorização na última semana de julho ocorrido depois da divulgação de salto de quase 75% no lucro ajustado do segundo trimestre ante mesmo período de 2019. Na ocasião da publicação do balanço, a equipe da XP Investimentos considerou resultado sólido, mas avaliou o múltiplo da companhia como justo e reiterou recomendação 'neutra' para as ações. No setor, GPA ON PCAR3.SA perde 5,6% no mês.

- CVC BRASIL ON CVCB3.SA registra uma queda de 6,7% na primeira semana do mês. A empresa de turismo mostrou uma baixa de mais de 65% no lucro líquido não auditado de 2019, após revisão e reconciliação de resultados em razão de distorções contábeis. Além de todo o efeito negativo por causa da pandemia, a revisão da contabilidade acarretou ainda ajustes no valor de 362,4 milhões de reais nas demonstrações financeiras do ano passado. A CVC busca divulgar balanço auditado de 2019 e o resultado do primeiro trimestre de 2020 até 31 de agosto.

OI ON OIBR3.SA registra queda de 11,5% apesar da expectativa sobre venda de ativos. Enquanto o consórcio formado por TIM, Telefônica Brasil e Claro aparece como único ofertante oficial para os ativos móveis da Oi, a unidade de fibra óptica tende a ter uma disputa mais acirrada. DO SMALL CAPS NO ACUMULADO DO MÊS:

- C&A MODAS ON CEAB3.SA contabiliza uma valorização de 9,6%, mesmo com perspectivas mais negativas para o setor de vestuário no segundo trimestre em razão das medidas de restrição de circulação. A companhia divulgará desempenho de abril a junho em 19 de agosto. No setor, LOJAS RENNER ON LREN3.SA , que faz parte do Ibovespa, mostra elevação de 4,8% no mesmo período.

- ALIANSCE SONAE (LS:YSO) ON ALSO3.SA sobe 9,6%, acompanhando suas concorrentes listadas no Ibovespa, em meio a perspectivas de que os efeitos das determinações de lockdowns podem não ter sido tão ruins nos resultados dos shopping centers como se antecipou.

- PETRORIO ON PRIO3.SA registra uma alta de 8,2%, tendo de pano de fundo a sua entrada na primeira prévia da composição do Ibovespa que irá vigorar de setembro a dezembro.

- LIGHT ON LIGT3.SA mostra um recuo de 9,7% no mês, afetada pelos receios sobre os impactos do coronavírus no mercado de energia, como queda do consumo e aumento da inadimplência. Em relatório no mês passado, a Fitch Ratings estimou que a companhia deve ser uma das mais impactadas do setor em termos de Ebitda em 2020 por causa da pandemia em razão de sua exposição ao mercado livre de energia. A companhia divulga seus números do segundo trimestre no próximo dia 13.

- JHSF ON JHSF3.SA perde 6,8% neste começo de agosto, em meio a movimentos de realização de lucros. O papel acumulou alta de quase 30% no mês passado, quando a empresa realizou oferta de ações para levantar capital para a expansão da estratégia digital, além de ampliação do segmento de incorporação e de shopping center.

Veja o comportamento dos principais índices setoriais na B3 no acumulado do mês:

- Índice financeiro .IFNC : -1,9%

- Índice de consumo .ICON : +0,7%

- Índice de Energia Elétrica .IEE : -1,7%

- Índice de materiais básicos .IMAT : +4,4%

- Índice do setor industrial .INDX : +2,3%

- Índice imobiliário .IMOB : +2,4%

- Índice de utilidade pública .UTIL : -1,4%

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

Relacionadas

Últimos comentários

Adicione um comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Polski Português (Brasil) Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
A guardar as alterações

+

Descarregue a Aplicação Investing.com

Obtenha acesso gratuito a cotações e gráficos em tempo real, bem como a alertas sobre ações, índices, moedas, commodities e obrigações. Obtenha acesso gratuito às melhores análises técnicas e previsões.

Investing.com é melhor na Aplicação!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência mais fluida disponíveis apenas na Aplicação.

';