BOVESPA-Índice fecha agosto abaixo de 100 mil pontos, com cena fiscal impondo 1ª perda mensal desde março

BOVESPA-Índice fecha agosto abaixo de 100 mil pontos, com cena fiscal impondo 1ª perda mensal desde março

Reuters  | 31.08.2020 22:00

BOVESPA-Índice fecha agosto abaixo de 100 mil pontos, com cena fiscal impondo 1ª perda mensal desde março

(Texto rescrito com dados oficiais de fechamento e mais informações)

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO, 31 Ago (Reuters) - O Ibovespa teve em agosto a primeira queda mensal desde março, com o front fiscal limitando os efeitos de estímulos monetários, principalmente nos Estados Unidos, que levaram Wall Street a novas máximas recordes.

Em meio a discordâncias públicas entre o presidente Jair Bolsonaro e a equipe econômica sobre benefícios fiscais, bem como movimentos do governo no sentido de buscar apoio no Congresso, cresceram as receios sobre o compromisso do governo com o teto de gastos, bem como os ruídos envolvendo a permanência do ministro da Economia, Paulo Guedes, na pasta.

Nesta segunda-feira, projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) mostrou que o governo espera um rombo primário para o governo central em 2021 de 233,6 bilhões de reais, ante déficit de 149,61 bilhões de reais estipulado em abril, no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO). também foi marcado por uma bateria de resultados corporativos, com os balanços de muitas empresas refletindo os efeitos econômicos da pandemia de Covid-19, como áreas, shopping centers e bancos, enquanto nomes nos setores de ecommerce, proteínas e commodities mostraram-se resilientes.

No cenário externo, a decisão do Federal Reserve adotar uma nova estratégia de política monetária baseada numa taxa de inflação média nos Estados Unidos foi o principal destaque, em um momento no qual o ambiente de juros baixos na maior economia do mundo tem respaldado apetite a risco a apesar do quadro econômico ainda complicado por causa do novo coronavírus.

Nos EUA, o S&P 500 .SPX renovou máximas históricas consecutivamente e, embora tenha encerrado a segunda-feira com recuo marginal, registrou o melhor agosto desde 1986.

Na visão do analista-chefe e fundador da casa de análise Suno, Tiago Reis, a bolsa no Brasil teve uma performance abaixo da média global em razão da complexa situação política e fiscal do país. Ele acrescentou, contudo, que a queda do Ibovespa em agosto pode ser encarada como algo perfeitamente normal.

"É preciso lembrar que ainda estamos em uma situação de pandemia, com projeção para este ano de queda histórica do PIB, déficit fiscal elevado", afirmou, ressaltando que, mesmo nesse cenário, algumas ações atingiram máximas históricas e que, desde as mínimas do ano o Ibovespa soma valorização em torno de 60%.

Do ponto de vista gráfico, o analista da Clear Corretora Fernando Góes afirmou que a perspectiva do Ibovespa para setembro é de manutenção de um mercado "lateral", perdendo um viés de alta que tinha, mas que ainda não entrou em venda.

"Acredito que levará um pouco mais de tempo para sairmos da linha entre 99 mil e 105 mil pontos, onde o mercado está consolidado. Só teremos uma mudança de cenário se rompermos esses níveis... Por enquanto, existe mais chance disso acabar para cima, mas quanto mais tempo demorar, menor a confiança de rompimento dos 105 mil", afirmou.

Nesta segunda-feira, o Ibovespa .BVSP fechou em queda de 2,72%, a 99.369,15 pontos, encerrando agosto com perda de 3,44%. No ano, o declínio alcança 14,07%.

Maiores baixas do Ibovespa no dia .PL.BVSP

Maiores altas do Ibovespa no dia .PG.BVSP

O índice Small Caps .SMLL recuou 1,46%, a 2.435,60 pontos, com perda de 1,23% no mês e baixa de 14,27% no acumulado de 2020.

O volume negociado no pregão nesta sexta-feira somou 25 bilhões de reais.

DESTAQUES DO IBOVESPA DO ACUMULADO DO MÊS:

- USIMINAS PNA USIM5.SA valorizou-se 24,85%, com a produção de aço bruto do Brasil no mês passado ficando próxima dos níveis anteriores à chegada da epidemia de Covid-19, com crescimento de vendas de planos e longos no mercado interno. CSN CSNA3.SA , que subiu 24,16% também teve no radar expectativas relacionadas a uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de sua unidade de mineração.

- KLABIN UNIT KLBN11.SA acumulou alta de 24,39% em agosto, ainda embalada pelo forte desempenho operacional apurado pela fabricante de papel e celulose entre abril e junho, bem como pela valorização do dólar em relação ao real. No setor, SUZANO ON SUZB3.SA subiu 19,52%, também com números fortes no segundo trimestre.

- COGNA ON COGN3.SA perdeu 31,16% no mês, ainda sofrendo com ajustes após forte valorização em julho e estreia fraca da sua subsidiária Vasta na Nasdaq, além de prejuízo no segundo trimestre, quando foi fortemente afetada pela queda de receita e aumento da inadimplência com a pandemia. No setor, YDUQS ON YDUQ3.SA recuou 20,48%, também pressionada pela pandemia.

- SABESP ON SBSP3.SA contabilizou queda de 21,53%, acentuada após declarações do governador do Estado de São Paulo, João Doria, sobre capitalização da companhia paulista de água e saneamento, que trouxeram dúvidas sobre a esperada privatização da empresa. Segundo a Sabesp, não há decisão tomada sobre o modelo de reorganização societária da companhia.

DESTAQUES DO SMALL CAPS NO ACUMULADO DO MÊS:

- LINX ON LINX3.SA subiu 34,62%, em meio a uma potencial disputa pela produtora de software para o varejo, com StoneCo STNE.O anunciando acordo vinculante com a empresa, mas que foi seguido por proposta da Totvs TOTS3.SA . O acordo com a StoneCo prevê multa de 605 milhões de reais se a Linx realizar uma operação concorrente envolvendo uma oferta melhor de terceiro.

- JHSF ON JHSF3.SA recuou 22,17%, corrigindo boa parte da valorização registrada no mês anterior, mesmo com anúncio de programa de recompra. A empresa disse que está trabalhando na implementação de um plano de ação para aprimorar seus controles internos e políticas corporativas para sanar eventual deficiência em aprovações de transações com partes relacionadas.

Veja o comportamento dos principais índices setoriais na B3 no acumulado do mês:

- Índice financeiro .IFNC : -7,9%

- Índice de consumo .ICON : -1,49%

- Índice de Energia Elétrica .IEE : -5,96%

- Índice de materiais básicos .IMAT : +10,25%

- Índice do setor industrial .INDX : +1,75%

- Índice imobiliário .IMOB : -7,91%

- Índice de utilidade pública .UTIL : -8,2% (Edição de Aluísio Alves)

Relacionadas

Últimos comentários

Adicione um comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Polski Português (Brasil) Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
A guardar as alterações

+

Descarregue a Aplicação Investing.com

Obtenha acesso gratuito a cotações e gráficos em tempo real, bem como a alertas sobre ações, índices, moedas, commodities e obrigações. Obtenha acesso gratuito às melhores análises técnicas e previsões.

Investing.com é melhor na Aplicação!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência mais fluida disponíveis apenas na Aplicação.

';